Geografia

CARACTERIZAÇÃO FÍSICA

 

1 – Localização, Área, Altitude da Sede, Distância em Relação à Capital e

Limites

 

Coordenadas Geográficas: latitude:      6º 05’ 16” Sul

longitude: 37º 54’ 40” Oeste

 

Área: 169,47 km², equivalente a 0,32 % da superfície estadual.

 

Altitude da Sede: 703 metros

 

Distância em Relação à Capital: 362 km

 

Limites:   Norte – Umarizal, Viçosa e Portalegre

Sul – Antônio Martins, Frutuoso Gomes e Serrinha dos Pintos

Leste –Frutuoso Gomes, Lucrecia e Umarizal

Oeste – Serrinha dos Pintos e Portalegre

 

2 – Clima

 

Tipo: clima tropical chuvoso com verão seco e estação chuvosa adiantando-se para o outono.

 

Precipitação Pluviométrica Anual: normal: 1.114,6 mm

observada: 1.360,5 mm

desvio: 245,9 mm

 

Período Chuvoso: janeiro a junho

 

Temperaturas Médias Anuais:   máxima: 26,0 °C

média: 28,1 °C

mínima: 15,0 °C

 

Umidade Relativa Média Anual: 66 %

 

Horas de Insolação: 2.700

 

3 – Formação Vegetal

 

Caatinga Hiperxerófila – vegetação de caráter mais seco, com abundância de cactáceas e plantas de porte mais baixo e espalhado. Entre outras espécies destacam-se a jurema-preta, mufumbo, faveleiro, marmeleiro, xique-xique e facheiro.

 

4 – Solos

 

Solos predominantes e características principais:

 

Bruno Não Cálcico – fertilidade média a alta, textura arenosa/argilosa e média/argilosa, fase pedregosa, bem drenada, relevo ondulado.

 

Solos Litólicos Eutróficos – fertilidade alta, raso ou muito raso, textura média, acentuadamente drenada, relevo ondulado e forte ondulado.

 

Latossolo Vermelho Amarelo – fertilidade baixa, textura argilosa, bem ou acentuadamente drenada, relevo plano.

 

Uso: a área de relevo plano é quase totalmente cultivada com fruticultura e agave, existindo também as culturas da mandioca, feijão e milho em escala mais reduzida. As áreas de relevo ondulado são mais utilizadas com pecuária extensiva e algum cultivo de milho e feijão consorciados. Recomenda-se para essas áreas, práticas de controle a erosão. Nas áreas de relevo forte ondulado deve-se preservar a vegetação natural.

 

Aptidão Agrícola: regular e restrita para pastagem natural, apta para culturas de ciclo longo, indicado para preservação da flora e da fauna e regular e restrita para lavouras.

 

Sistema de Manejo: a maior parte da área está condicionada a um nível tecnológico médio e baixo, onde as práticas agrícolas dependem do trabalho braçal e tração animal com implementos agrícolas simples. Uma pequena área se baseia em práticas agrícolas que refletem um alto nível tecnológico, onde a motomecanização está presente nas diversas fases da operação agrícola.

 

5 – Relevo

 

De 400 a 800 metros de altitude.

Serras: do Martins, dos Picos, Bom Princípio, Mundo Novo, Serrote do Saquinho, do Macapá.

 

Depressão Sertaneja – terrenos baixos situados entre as partes altas do Planalto da Borborema e da Chapada do apodi.

 

Planalto da Borborema – terrenos antigos, formados pelas rochas Pré-Cambrianas como o granito, onde se encontram as serras e picos mais altos.

 

6 – Aspectos Geológicos e Geomorfológicos

 

A área do município abrange dois tipos de rochas diferentes que caracterizam dois períodos distintos na evolução geológica da região. O primeiro, representado pelo Embasamento Cristalino, de Idade Pré-Cambriana, 1.000 – 2.500 milhões de anos, com granitos, migmatitos variados, gnaisses, xistos, anfibolitos, calcários matamórficos. Como cobertura do Embasamento Cristalino, restritos ao topo da serra, encontram rochas sedimentares da Formação Serra do Martins (base do Grupo Barreiras), de Idade Terciária Inferior, 60 milhões de anos, com arenitos, arenitos caulínicos, conglomerados e siltitos, que apresentam espessura em torno de 30 metros. Estes sedimentos geomorfologicamente constituem uma superfície tabular erosiva que é caracterizada por relevo residual de topo plano testemunho de superfície de erosão, geralmente limitada por escarpas erosivas, com diferentes níveis altimétricos, na realidade, restos de uma cobertura sedimentar outrora muito mais extensa que foi quase completamente erodida.

 

Ocorrências Minerais

 

Caulim – os principais usos industriais são para cerâmica branca, papel, borracha, tintas, plásticos, tecidos, inseticidas, fertilizantes, adesivos, esmaltes, vidros especiais, medicamentos, química e couros, dentre outros. Os fatores que controlam os usos industriais do  caulim são, principalmente grau de pureza, alvura, poder de reflexão luminosa e a granulometria.

 

Recursos Minerais Associados

 

Formação Serra do Martins – caulim, material utilizado na industria de papel e de cerámica; arenito silicificado, rocha ornamental utilizado para piso e revestimento; rocha dimensionada, utilizada para construção civil.

 

Complexo Gnáissico-Migmatítico – rocha ornamental especialmente migmatitos utilizado em piso e revestimento; brita e rocha dimensionada utilizada para construção civil.

 

Formação Jucurutu – mármore, utilizado como piso e revestimento, na indústria de cal e cimento, e como corretivo agrícola; paragnaisse – rocha dimensionada utilizada na construção civil.

 

7 – Recursos Hídricos

 

Hidrogeologia:

 

Aqüífero Cristalino – engloba todas as rochas cristalinas, onde o armazenamento de águas subterrâneas somente se torna possível quando a geologia local apresentar fraturas associadas a uma cobertura de solos residuais significativa. Os poços perfurados apresentam uma vazão média baixa de 3,05 m³/h e uma profundidade de até 60m, com água comumente apresentando alto teor salino de 480 a 1.400 mg/l com restrições para consumo humano e uso agrícola.

 

Aqüífero Aluvião – apresenta-se disperso, sendo constituído pelos sedimentos depositados nos leitos e terraços dos rios e riachos de maior porte. Estes depósitos caracterizam-se pela alta permeabilidade, boas condições de realimentação e uma profundidade média em torno de 7 metros. A qualidade da água geralmente é boa e pouco explorada.

 

Hidrologia:

 

O município encontra-se com 100% do seu território inserido na Bacia Hidrográfica do Rio Apodi – Mossoró.

Riachos Principais: dos Picos, da Forquilha, do Comissário, do Corredor, do Sampáio

 

Açudes com Capacidade  de Acumulação Superior a 100.000 m³:

 

Públicos

Comunitários

Rio/Riacho Barrado

Capacidade (m³)

Alívio

-

                 …

600 000

Lajes ou Serra Nova

-

Riacho do Sampaio

1 200 000

Ribeiro

-

Riacho do Comissário

873 000

Serrinha dos Pintos ou Valter Magno

-

Riacho Sampaio

1 472 000

 

8 – Sítio Natural

 

Gruta do Martins: apresenta beleza cênica e interesse geológico, arqueológico e paleontológico.

 

Casa de Pedra: onde se encontram restos pré-históricos e fósseis.

Copyright © 2013 - Prefeitura de Martins. Todos os Direitos Reservados